O evento reuniu mais de 100 profissionais de saúde da região e faz parte das atividades do Dezembro Vermelho, mês de conscientização sobre o combate à aids.

Entre os temas abordados estão o Plano de Enfrentamento da Eliminação da Hepatite C em Diadema; Prevalência e Fatores de Risco de Depressão em Pacientes Cronicamente Infectados pelo Vírus da Hepatite C; Vacina aos avanços para a cura; trajetória do HIV; e Prevenção Combinada.

A Organização Mundial da Saúde estima que existam 71 milhões de pessoas com hepatite C no mundo e, a cada ano, 399 mil morrem em decorrência da doença. No Brasil, a estimativa era de 632 mil portadores de hepatite C crônica, em 2017.

Para diminuir esse número e evitar as complicações de um diagnóstico tardio, foi criado, em 2019, o Plano de Enfrentamento da Eliminação da Hepatite C no Brasil. O documento orienta ações de prevenção, diagnóstico e tratamento, enfatizando a educação continuada dos profissionais da saúde e estratégias de vinculação das populações aos serviços.

Para o Ministério da Saúde (MS), 135 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e não sabem. Atualmente, 1.380 pessoas são acompanhadas pelo Centro de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), HIV/Aids e Hepatites Virais de Diadema. O número de pessoas diagnosticadas com HIV positivo vem crescendo ao longo dos últimos anos. Em 2017, saltou para 136. No ano passado, esse número chegou a 140 casos. Até o momento, 35 pessoas receberam o diagnóstico de HIV positivo e iniciaram o tratamento no CR Diadema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui