A Sabesp executará novas obras do Projeto Tietê, após a autorização pelo Senado Federal de novos empréstimos. A empresa pode recorrer a empréstimos junto a organizações financeiras internacionais. O programa de ampliação dos serviços de saneamento e de preservação ambiental também será beneficiado. As duas autorizações somam um valor de US$ 550 milhões de dólares que poderão ser captados para o financiamento de obras e ações.

Os recursos serão investidos na despoluição do principal rio do estado de São Paulo e na melhoria dos serviços de água e esgoto da Região Metropolitana da capital, dando mais qualidade de vida à população. Com a autorização do Projeto Tietê, a Sabesp poderá tomar empréstimos de até US$ 300 milhões junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para investir em obras da
quarta etapa do programa.

Fundado em 1992, o Projeto Tietê levou coleta e tratamento de esgoto para mais 10 milhões de pessoas na Grande São Paulo, com investimentos de quase US$ 3 bilhões em obras realizadas. Neste período, o índice de coleta de esgoto na Região Metropolitana de São Paulo passou de 70% para 89% e o tratamento de esgoto mais que triplicou, saltando de 24% para 78%. Com as obras em andamento, a expectativa é chegar em 2025 com 92% de coleta e 92% de tratamento, ampliando os serviços de tratamento de esgoto a mais 7 milhões de pessoas.

A autorização aprovada pelo Senado permite à Companhia tomar empréstimos de até US$ 250 milhões junto ao Banco Mundial (BIRD) para o Programa Saneamento Sustentável e Inclusivo. A iniciativa prevê investimentos na distribuição de água na RMSP, principalmente na substituição de redes, visando ao controle de perdas, e na coleta e tratamento de esgoto no entorno da represa do Guarapiranga, a fim de contribuir na despoluição do reservatório.

A empresa também irá ampliar a rede de abastecimento voltada à população de baixa renda pelo programa Água Legal, esta ação busca a regularização de ligações de água em regiões de alta vulnerabilidade social, onde moradores recorrem com frequência a soluções improvisadas de abastecimento. Estão previstas a execução de cerca de 152 mil ligações de água e 38 mil de esgoto, além da troca de 850 km de rede de água, o que contribuirá para a redução de perdas na Grande São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui